Reserva Online 24/7

Pare de sofrer!

  • Quick n' fácil Consulta Online
  • Agendar consulta 24/7
  • Ligue para 915-850-0900.
Segunda-feira9: 00 AM - 7: 00 PM
Terça-feira9: 00 AM - 7: 00 PM
Quarta-feira9: 00 AM - 7: 00 PM
Quinta-feira9: 00 AM - 7: 00 PM
FRATERNIDADE9: 00 AM - 7: 00 PM
Sábado8: 30 AM - 1: 00 PM
DomingoFechadas

Célula Médica (Emergências) 915-540-8444

RESERVE ONLINE 24/7

Avaliação da Medicina Funcional®

🔴 Aviso: Como parte de nossa Tratamento de lesões agudas Prática, agora oferecemos Medicina Funcional Integrativa Avaliações e tratamentos dentro do nosso escopo clínico para desordens degenerativas crônicas.  Nós primeiro avaliar a história pessoal, nutrição atual, comportamentos de atividade, exposições tóxicas, fatores psicológicos e emocionais, em genética tandem.  Nós então pode oferecer Tratamentos de medicina funcional em conjunto com nossos protocolos modernos.  Saiba mais

Medicina funcional explicada

Estudo demonstra que o ajuste da Quiropraxia é mais eficaz para a dor nas costas do que medicamentos e cuidados médicos

Partilhe

El Paso, TX. O quiroprático Dr. Alex Jimenez contribui para a discussão do tratamento quiroprático versus medicação para a dor e assistência médica.

Qual é mais eficaz para a dor lombar? Meds ou Quiropraxia?

Essa é a pergunta em nosso tema de pesquisa da semana.

Um Estudo Baseado em Prática de Pacientes com Dor Lombar Aguda e Crônica que Atendem Médicos de Cuidados Primários e Quiropraxia: Acompanhamento de Duas Semanas a 48

Este estudo baseou-se em um modelo observacional baseado em práticas para observar a eficácia da intervenção em um grupo selecionado de pacientes com dor lombar aguda e crônica (lombalgia). Ele comparou a eficácia da intervenção quiroprática com cuidados médicos padrão em ambos os tipos de dor lombar.

Os doentes 2780 foram incluídos na pesquisa ao longo de um período de 2 anos (1994 a 1996) das práticas de DCs 60 (doentes 1855) e 111 MDs (doentes 925) nas clínicas de clínica geral Quiroprática 51 e 14. Os dados dos pacientes foram obtidos através de uma pesquisa distribuída pessoalmente na primeira visita, e os pacientes foram acompanhados durante um período de 4 anos com pesquisas enviadas pela 7 em intervalos de tempo regulares. As correspondências foram enviadas nas semanas 2, 1 mês, 3 meses, 6 meses e 1 ano após a visita original. Na fase 2, os pacientes foram acompanhados nos meses 36 24 e 48.

 

 

Os pacientes eram elegíveis se a LBP fosse sua queixa primária e fosse de origem mecânica; eles foram excluídos se a exploração fosse contraindicada, ou a dor nas costas fosse de origem não mecânica (como a dor orgânica referida). Pacientes agudos eram aqueles cuja dor nas costas era menor que 7 semanas de duração; Os pacientes com dor lombar de longa duração foram aqueles com dor nas costas mais longa ou com duração de semanas 7.

Os médicos da pesquisa produziram uma variedade de procedimentos de tratamento. A quiropraxia incluiu fisioterapia, manipulação da coluna vertebral, estratégia de exercício e educação para o autocuidado. Os médicos deram atendimento que incluiu um plano de exercícios de medicamentos prescritos e conselhos de autocuidado; quase 25% desses pacientes foram encaminhados para fisioterapia.

Os desfechos primários avaliados foram: presença de intensidade da dor e comprometimento funcional, quantificados por questionários enviados aos pacientes nos tempos indicados acima.

Os pacientes médicos apresentaram dor inicial e incapacidade mais graves ao entrar no tratamento, maior prevalência de dor e pior estado geral de saúde do que nos pacientes. Essas diferenças foram mais evidentes nos pacientes crônicos do que nos pacientes agudos.

Foi observada uma vantagem para a atenção da CD em comparação com a atenção da DM nos primeiros meses 12 no alívio da dor. Essa diferença foi pequena, mas foi maior para aqueles com lombalgia crônica durante o primeiro ano de tratamento.

 

 

Houve uma vantagem com todo o uso da quiropraxia em pacientes de longo prazo com dor irradiando abaixo do joelho, e algumas pequenas vantagens também foram observadas no grupo de pacientes agudos. Diferenças também foram observadas nos primeiros meses 3 de cuidados sem dor nas pernas em pacientes crônicos. Havia os tipos de cuidados médicos 2 para irradiação da dor ao longo do joelho, bem como nenhuma diferença nos grupos 2.

Todos os grupos de pacientes encontraram melhora clinicamente importante na dor e incapacidade durante o período de tratamento. Avanço que foi maior foi visto por pacientes agudos, com muitos obtendo alívio quase completo de seus sintomas. A maior parte do alívio dos sintomas realizado por meses 3, seguido por um patamar através de meses 12. Seguiu-se um agravamento clínico crítico da dor nos meses 12 a 24, com outro patamar até aos 4 anos. Pouco aumento na deficiência foi observado entre os meses 12 e 48.

É importante ressaltar que, com 3 anos de pesquisa, 45% a 75% dos pacientes observaram pelo menos 30 dias de dor ao longo do ano anterior, mesmo naqueles que obtiveram alívio significativo de dor e incapacidade por meio de intervenção precoce. A dor diária foi observada por 19% a 27% de pacientes com lombalgia crônica ao longo do ano anterior.

  • A intervenção precoce reduz a dor crônica. As pessoas que receberam intervenção precoce para dor lombar aguda após a lesão original relataram menos dias de dor nas costas do que aquelas que esperaram mais pela intervenção. Uma vez que os resultados foram melhores do que naqueles que atrasaram o tratamento, isso apoiaria o fornecimento de intervenção precoce para pacientes com dor lombar aguda.
  • A Quiropraxia é valiosa para certos tipos de dor. O tratamento quiroprático se mostrou mais eficaz do que o tratamento médico padrão em certas situações: com dor irradiando abaixo do joelho em pacientes com dor lombar persistente, bem como no tratamento da dor lombar durante os primeiros 12 meses. Quase todo o alívio foi sustentado durante o ano inicial e foi obtido durante os primeiros 3 meses de tratamento.

Este estudo relata resultados de dor e incapacidade até 4 anos para pacientes quiropraxistas e médicos com dor lombar (lombalgia) e avalia o impacto do tipo de médico e o comprimento da dor nos desfechos clínicos.

 

 

Conclusão

Os resultados do estudo foram consistentes com revisões sistemáticas da eficácia da manipulação da coluna vertebral (o ajuste de Quiropraxia) para dor e incapacidade em lombalgia severa e crônica. O encaminhamento interdisciplinar e a seleção de pacientes precisam ser as principais preocupações dos formuladores de políticas, médicos e terceiros na identificação de serviços de saúde.

 

Ligue hoje!

Publicações Recentes

Permeabilidade e doença intestinal

O aumento da permeabilidade intestinal é a porta de entrada para doenças auto-imunes. Tornou-se conhecido que intestinal… Saiba mais

27 de novembro de 2020

Teste de sensibilidade ao trigo

As doenças relacionadas ao glúten são um fenômeno global. Os números são excelentes; 10% do global ... Saiba mais

27 de novembro de 2020

Tecnologia de triagem em desequilíbrios intestinais

Nosso trato gastrointestinal hospeda mais de 1000 espécies de bactérias que trabalham simbioticamente conosco ... Saiba mais

25 de novembro de 2020

Neurodiagnóstico

Falamos sobre neuroinflamação e suas causas e como os efeitos da neuroinflamação afetam nosso ... Saiba mais

25 de novembro de 2020

A Ciência da Neuroinflamação

O que é neuroinflamação? Neuroinflamação é uma resposta inflamatória que envolve células cerebrais, como neurônios ... Saiba mais

24 de novembro de 2020

Manejo nutricional: reações alimentares adversas

Como paciente, você irá (e deve) consultar um médico se alguma vez se apresentar ... Saiba mais

20 de novembro de 2020

Especialista em lesões, traumatismos e reabilitação da coluna vertebral

Histórico e registro online 🔘
Ligue-nos hoje 🔘